Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Vive La France!

por Robinson Kanes, em 24.04.17

Untitled.png

Eugène Delacroix, A Liberdade Guiando o Povo (Museu do Louvre)
Fonte da Imagem: Própria

 

Não vou falar de política, nomeadamente de quem poderia ou deveria ter ganho as eleições em França.

O foco da minha análise baseia-se sobretudo numa temática que passa pela ausência de líderes mobilizadores e capazes de arrastar atrás de si os eleitores. Este é um dos dramas dos países da União Europeia e até da própria instituição. Numa época em que se fala tanto, mas tanto, de liderança, são cada vez menos os indivíduos a fazer jus ao conceito. Tantos "gurus" da temática e tão poucos Líderes...

 

Os franceses aperceberam-se disso, aperceberam-se de que o jogo político do costume tinha de acabar, um pouco à semelhança do que aconteceu nos Estados Unidos da América com a eleição de Donald Trump. Resta agora saber se, Macron ou Le Pen, estarão também à altura dos desafios, pois serão mais que muitos numa nova realidade europeia e mundial. Os franceses provaram que os velhos líderes, herdeiros da lição do pós-guerra, da era da prosperidade e do dinheiro fácil não eram a solução para os problemas da sociedade actual, sobretudo a francesa. 

 

A Macron, apesar da ligação a Hollande, resta esperar pela capacidade mobilizadora, que tem de ir mais longe e não se servir só do discurso anti extrema-direita, até porque estando Le Pen eliminada, esse mesmo discurso deixa de fazer sentido e... os franceses querem mudanças! A Le Pen, não poderei deixar de elogiar a força mobilizadora, a visão menos radical que a do pai e acima de tudo a força, à semelhança de Trump, com que enfrentou o "novo" actor político do mundo ocidental: os media! Em meu entender, mais uma vez, os media foram os grandes derrotados de um jogo que não é o seu mas em que insistem tomar parte.

 

Em suma, a vencer a segunda volta, Macron encontrará um desafio já assinalado pelo seu compatriota Rousseau e que defendia que "os povos, tal como os homens, só são dóceis na sua infância, com a idade tornam-se incorrigíveis: uma vez que os costumes estão estabelecidos e os preconceitos enraizados, é uma empresa perigosa e vã querer reformulá-los". O povo francês poderá ter, finalmente, aberto espaço para uma mudança. Veremos, contudo, se essa mudança ocorrerá e como poderá se encetada, quer ao nível do Elíseu quer nas ruas e é aí, entre perfume e suor, que se reconhecem os verdadeiros líderes.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Mensagens

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



subscrever feeds




Copyrighted.com Registered & Protected 
CRD7-BFJD-IWHB-ZXDB