Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



"Silly Season" - Abertura Oficial em Alcochete!

por Robinson Kanes, em 31.05.18

99478253_121881191ffdef.jpg

Créditos: https://tnews.ir/news/bbc199478253.html

 

Um chapéu é apenas uma panqueca, posso ir comprá-lo ao Zimmermann, mas aquilo que se guarda debaixo do chapéu, isso já não se pode comprar.

Fiodor Dostoievski, in  "Crime e Castigo"

 

 

Tende a ser mais tardia a abertura de tão interessante época que todos os anos tem lugar mas...

 

... Em Alcochete este ano começou mais cedo! E nem falo dos ataques terroristas que alguns continuam a dizer que aí tiveram lugar, numa certa academia de desporto - os mesmos que diziam ser uma tolice considerar os incêndios, o crime organizado e outros acontecimentos bem mais dramáticos como terrorismo. A "silly season" está oficialmente aberta em Alcochete quando as filas para aceder à pacata vila já chegam à Ponte Vasco da Gama, ou pelo menos, à saída para Montijo e Alcochete. Mas...

 

...Vão todos saborear o que de bom se faz em Alcochete em termos de comida? Vão viver a vila e a suas gentes? Vão apreciar uma das mais belas zonas ribeirinhas do país? Não! Assim que passamos a segunda rotunda que nos abre a vila, tudo se dissipa pois o trânsito fica todo no Freeport!

 

Lembram-se daquele centro comercial construído em reserva natural e que deu tanto que falar na justiça e na praça pública? Aquele que foi criticado e envolveu alegadas situações de corrupção? Muitos dos seus criticos são os que entopem agora a entrada na vila para lá irem comprar roupa de refugo mas que tem uma marca! Tem defeito, está fora de moda? Que interessa, tem a marca! Ainda me recordo de uma personagem que conheci que dizia ter uma camisa de uma grande marca comprada nesse estabelecimento e que perante a minha afirmação de que era uma camisa branca normal me respondeu dizendo que tinha a marca e assim as pessoas viam que era uma camisa boa! 

 

Querem camisas boas? Vão a Pequim e é muito provável que no prédio ao lado do vosso exista uma fábrica que produz para uma grande marca e aí comprem camisas a 5 dólares e que por cá custam para cima de 200 euros e com melhor qualidade pois não são fabricadas para serem vendidas em outlet! Uma nota: afirmação baseada em factos reais!

 

Hoje, o habitante de Alcochete que veio de Lisboa ou até do Alentejo teve uma manhã muito difícil! O alcochetano de gema ou mero residente sentiu na pele como é entrar em Paris ou Londres de automóvel, porque a loucura das compras de Verão começou - o fim do mês e os feriados deram um empurrão e... Estamos em Portugal onde um par de cuecas de marca vale que coloquemos a viatura em cima de hortas e de terrenos privados! 

 

Mas tudo tem coisas boas e coisas más... Se por um lado esta multidão não invade Alcochete, não estragando também a vila, por outro nem sequer sabe que existe uma reserva natural cujo nome é Reserva Natural dos Estuário do Tejo, a mesma que, segundo uma empresa que realizou um estudo de impacto ambiental, pouco ou nada será afectada por um futuro aeroporto! Afinal, isto dos flamingos e outra "passarada" é bonito nos vestidos e na piroseira de Verão, mas na natureza quem é que quer saber disso?

 

Tenho a sensação de que hoje vou ter mesmo de fugir para Alpiarça ou Chamusca antes que esta febre me consuma... Entretanto passei por dois guarda-rios (as aves) que estavam a comentar que os seres-humanos eram um pouco parolos...

 

Bom feriado... Mesmo para aqueles que só sabem que é um dia em que alguns não trabalham ou recebem a dobrar... Afinal, nestes dias somos todos católicos apostólicos romanos mesmo que nunca tenhamos ido a uma eucaristia!

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Pingo Demasiado Doce da Autoridade...

por Robinson Kanes, em 02.01.18

novos-gnr.jpg

 Fonte da Imagem: http://www.postal.pt/2016/09/gnr-conta-mais-457-novos-militares-partir-de-hoje/

 

 

Um destes dias, andava eu pelo Pingo Doce quando dei por mim a assistir a uma cena daquelas que pensamos que já não deveriam existir... Mas existem.

 

Uma senhora, dos seus quarenta anos, aquele tipo "pandorca" e cuja filha herdou os genes todos, decidiu ir às compras de Natal. Foi de tal modo imbuída no espírito que quis oferecer caixas e cestos de chocolates a todos os amigos, no entanto, como o dinheiro não chega para tudo, algumas delas íam escondidas no carrinho de bebé - daquele que deveria ser mais um filho.

 

Abordada pelo segurança, ao início hesitou e até colocou em causa a moral do cavalheiro. Mas na verdade, debaixo da mantinha e depois de confirmado o recibo das compras, a nossa "pandorca" decidiu colocar as culpas na "herdeira da parada", a filha que já lhe segue os passos em termo de imagem e comportamento "pandorqueiro". O marido, um senhor magro e visivelmente destruído pela vida, nem a boca abria. Já o segurança, procurou resolver a questão pelo bem e lá disse à senhora para ir pagar, porque "enganos" acontecem a todos e pronto... Assunto resolvido...

 

No entanto, enquanto escolhia um bolo rei quentinho - "estimados clientes, acabou de sair uma fornada de bolinho rei quentinho só a €8.99 o quilo" - só consigo ouvir um guarda da GNR a dizer "não me falta ao respeito". A partir daqui:

 

- A senhora não me falta ao respeito. Vá pagar as suas coisas e não me falte ao respeito.

 

Assim a autoridade mostrava que não estava para brincadeiras e procurava também sanar a situação rapidamente, no entanto, a nossa pandorca não estava pelos ajustes e:

 

- Mas quem és tu? Digo o que me apetecer, vai falar assim com a tua mãe!

 

Vai falar assim com a tua mãe... Quando vejo um indivíduo com o dobro do meu tamanho e com a farda da GNR, a primeira coisa que faço para evitar problemas é dizer-lhe "vai falar assim com a tua mãe"! A verdade é que imediatamente o guarda solicitou a identificação da senhora, aliás, até de forma bastante respeituosa até levar dois empurrões e a pandorca armada em big mama lhe ter dito:

 

-Não me dentifique! Vai pró ca_ _ _ _ _  - e enfrentando o guarda - tu é que não me respeitas nem me bateste a pala!

 

Continuamos a tentar evitar problemas, por isso, nada como mandar uma autoridade policial para aquele cesto que era colocado nos mastros das caravelas com o objectivo de servir de mirante. Também achei interessante o facto da nossa pandorca se ter em grande conta e achar que um militar lhe deve o direito de continência, mesmo quando esta o manda maltratar a mãe. Gosto desta coisa tão portuguesa do "eu tenho todos os direitos e tu só tens deveres".

 

E a saga continua... Empurrão daqui e dali, eis que o nosso guarda (muito paciente, por sinal... demasiado) agarra a senhora e a aperta. Isto não sem levar mais empurrões e um ou outro murro no braço. E não, nem a ameaça de que esta verdadeira dama poderia ser algemada a demoveu dos seus intentos.

 

Este género de cenas repetiu-se, e a insistência da senhora para que o guarda fosse para o cesto que era colocado nos mastros das caravelas com o objectivo de servir de mirante, continuava a ser bem marcada. Pessoalmente, não sou adepto da violência, mas se fosse comigo era imediatamente dominada, colocada no chão e algemada! Eu sei que depois vinham as associações do costume dizer que eu tinha sido violento... Afinal quem é um indivíduo, por sinal uma autoridade policial, para me dizer que não devo roubar e ainda por cima me algemar depois de o ter agredido e injuriado sem causa aparente? É que nem pensar! Temos direitos!

 

Casos como estes, não faltam... Começo a temer que a figura da autoridade comece a perder a sua força e quando assim acontece, é mau para os nossos agentes de autoridade que se encontram sujeitos ao desrespeito e ao aumento das agressões e também não é bom para os cidadãos, que podem estar a criar espaço para que seja dada, no futuro, mais margem de manobra na utilização da violência por parte das nossas autoridades.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Verdadeiro Natal no Striezelmarkt...

por Robinson Kanes, em 28.11.17

IMG_3639.jpg

 Fonte das Imagens: Própria.

 

Uma das imagens mais belas que se pode ter da Saxónia e que me fazem recordar as minhas deslocações e estadas em Berlim é o "Striezelmarkt" de Dresden, ou seja, o Mercado de Natal local. Todavia, acredito que a melhor entrada na Saxónia não será via Berlim, mas sim pela Boémia com a primeira paragem alemã na pitoresca Bad Schandau mesmo junto ao Elba.

 

Não vou falar de Dresden, para mim, a cidade mais bonita e romântica da Alemanha, mas sim do seu Mercado de Natal. Os Mercados de Natal da Alemanha são dos mais genuínos e interessantes que podemos conhecer e aqui, admito, que somos (portugueses) claramente ultrapassados na forma de celebrar o Natal.

IMG_3652.jpg

O "Striezelmarkt" remonta a 1434 e tinha a duração de apenas um dia. Este mercado visava apenas venda de carne, segundo as as leis de Frederico II, Princípe da Saxónia. O nome advém da palavra "Striezel" que é uma espécie de pão típico de Natal e também conhecido por "Stollen". Caminhar pela Altmarkt com uma caneca de Glühwein (vinho tinto aquecido com canela, cravinho, laranja ou limão e açúcar) numa das mãos e na outra com uma Lebkuchen (um espécie de bolo de mel e com um sabor a gengibre que... hum...) pode ser um dos passeios mais interessantes que vão ter nas vossas vidas. Dresden é uma cidade romântica e das poucas fora do Mediterrâneo que me apaixonam, mas sem dúvida que um Natal a dois não pode nem deve dispensar um passeio junto ao Elba e pela Altmarkt. Amigos alemães que não me enviem Lebkuchen no Natal têm de aturar o mau feitio do Robinson.

IMG_3588.jpg

Com a maior pirâmide "Erzgebirge" do mundo (14,62m) e o maior arco de Natal do mundo (13,5m de largura), neste mercado é impossível resistir às bancas que vendem somente produtos natalícios, desde a comida a peças de atesanato com especial destaque para os brinquedos. Também as "barraquinhas" são decoradas com extremo bom gosto e que tornam quase impossível não relembrar os tempos de criança... Eu diria até que voltamos a ser crianças. Quem diria também que há 72 anos esta cidade foi arrasada por um dos mais terríveis bombardeamentos da história e um dos grandes desastres cometidos pelos aliados que não olharam a meios e mataram um sem número de civis (250 000 foi a contagem inicial, que agora aponta para 25 000) de forma absolutamente desnecessária e ainda hoje um tema tabu quando se fala na Segunda Guerra Mundial, pois são muitos os que defendem que se tratou de um crime de guerra.

IMG_3622.jpg

Cachecol, gorro, e uma caminhada bem abraçados e aconhegados com a nossa paixão, tornarão todo e qualquer momento neste mercado inesquecíveis e nem o frio da Saxónia será capaz de quebrar a vontade de conviver na rua entre amigos de longa data ou recém-amigos que connosco, sem medo do gelo, partilham momentos singulares e inesquecíveis.

 

Toda a cidade é uma festa, mesmo antes, se viermos da Estação vamos encontrar também um enorme Mercado de Natal, e atravessando o Elba encontramos, logo a seguir à Estátua do Cavaleiro de Ouro (Augusto, o Forte - Rei da Polónia e Grão Duque da Lituânia) mais um mercado que não nos deixa ficar quietos e onde podemos saborear um sem número de produtos locais, aqui, com forte enfoque nas carnes.

IMG_3624.jpg

Apesar do frio, o melhor local para saborear estes petiscos é mesmo junto ao Elba, sem necessidade de voltarmos a atravessar a ponte. De noite ou de dia, e muitas vezes com um frio cortante, podemos contemplar o "Brühlsche Terrasse", mais conhecida como as "Varandas da Europa" e a "Kunstakademie" (Academia de Belas Artes) sem esquecer a imponente "Hofkirche" e a "Semperoper", a ópera de Dresden e visita obrigatória para um concerto ou mesmo para uma ópera! Acreditem que merece bem a pena assistir, nem que seja a um concerto da Orquestra Estatal de Dresden.

 

Olhando à minha volta e assistindo a mais uma loucura colectiva, que de Natalícia tem pouco, saberia bem caminhar por entre bonecos de madeira, cheiro a lareiras e a vinho quente enquanto colava os meus lábios e os aquecia na minha alemã numa qualquer barraquinha do "Striezelmarkt"... 

IMG_3628.jpg

Por aqui, voltaremos para a semana... Boa Semana e antes do Natal vivam os vossos e todos aqueles que vos rodeiam... Todos os dias....

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Mensagens

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



subscrever feeds




Copyrighted.com Registered & Protected 
CRD7-BFJD-IWHB-ZXDB