Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Homem que Via Passar os Aviões...

por Robinson Kanes, em 29.04.18

 

IMG_8940.JPG

Fonte da Imagem: Própria.

 

Ser spotter... O spotter é um apaixonado por aeronáutica que se diverte a apreciar, a fotografar, a filmar e até a saber todos os horários e matrículas de aviões entre tantas outras curiosidades.

 

Foi neste estado de espírito que decidi experimentar um pouco a actividade, até porque em aeroportos não tenho por hábito tirar fotografias aos aviões... É parolo...

Digamos que não é propriamente, e falo de mim, a actividade mais entusiasmante no longo prazo, mas sempre se conseguem captar bons momentos.

IMG_8869.JPG

Vim também a saber que existem aeroportos que criam eventos para spotters e até espaços próprios nas imediações dos mesmos para que estes apaixonados possam tirar algumas fotografias. Fotografias e vídeos pela internet não faltam, pelo que, deixo apenas um pequeno registo da minha manhã nesta actividade que tive oportunidade de experimentar pela primeira vez.

IMG_8884.JPG

O outro lado desta actividade é o facto de convivermos com vários profissionais que aproveitam para apanhar um pouco de ar antes de continuarem com o seu trabalho e ainda com pais que procuram fazer as delícias dos filhos - uma coisa é certa, entre um avião no tablet ou na televisão e outro ao vivo, acredito que a experiência pode ser bastante enriquecedora em todos os aspectos.

IMG_8867.JPG

Este pode ser também um óptimo passatempo para tirar as pessoas de casa, afinal entre estar dentro de quatro paredes a ver informação ou programas inúteis, sempre se apanha um bocadinho de ar e se dá um desgate extra aos ouvidos temperado com um cheiro a gasolina de avião.

IMG_8945.JPG

E havendo pouco mais a dizer, deixo-vos mais uma fotografia tirada enquanto alguns comerciais faziam tempo entre visitas e dois casais deixavam que os filhos, com os braços, pudessem acompanhar as descolagens das aeronaves.

IMG_8892.JPG

 Voltei! Deixo-vos mais uma do velhinho "Falcon 50" da Força Aérea Portuguesa a descolar.

IMG_8923.JPG

Bom Domingo...

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

JF4203-Spanish-Inquisition-Burning-Heretics-at-Sta

 Fonte da Imagem:http://image.sciencesource.com/preview/JF4203-Spanish-Inquisition-Burning-Heretics-at-Stake.jpg

 

Ainda alguém se lembra de uma avioneta que aterrou de emergência numa praia da Costa da Caparica a semana passada? Pelo meio houve futebol, estamos em tempo de praia e a nossa cabeça já não é comandada por outrem porque já não se fala disso nos media. A vantagem de não ter televisão, não acompanhar blog tags e não acompanhar também os meios de comunicação nacionais é que sabemos de algumas coisas em diferido... E isso é bom, pois a poeira já assentou e as personagens de um qualquer "Resident Evil" já recolheram aos covis, além de que o admirável mundo novo das hashtags torna-se menos contagiante.

 

Por vezes, tenho a sensação que vivemos num país de cobardes... Reparem como um país pediu a cabeça e o sangue de um instrutor e de um aluno de aeronáutica aos comandos de um avião que "perdeu" o motor mas parece, entretanto, ter permitido que as mortes dos incêndios sejam esquecidas... Ou até que o dinheiro dos seus donativos ande por aí sem destino... É mais fácil bater num cidadão anónimo do que num criminoso com nome e sempre nos permite assinar por baixo o nosso estado de miserabilidade social. 

 

Parece que nada mudou e continuamos a canalizar a nossa raiva para os mais fracos... Nada mudou desde que se apedrejavam e queimavam seres-humanos no Terreiro do Paço porque não havia coragem para questionar a alta autoridade real e eclesiástica (agora lembrei-me dos milhões da Cáritas). Não só continuamos a ter o mesmo espírito, como também começo a sentir que qualquer dia tenho um dominicano e um sem número de populares atrás de mim com um machado só porque existo, qual personagem do "Último Cabalista de Lisboa", de Richard Zimler.

 

Mais grave: fui procurar informação sobre esta temática e dei com "comentadeiros" e "pseudo-jornalistas" a tecerem considerações sobre pilotos, decisões e comportamentos dos mesmos, descrevendo taxativamente que os acidentes aéreos ocorrem porque estes se têm em boa conta e só fazem acrobacias... Honestamente, este tipo de notícias, comentário ou linchamento público vindo por parte de um jornalista deveria provocar a entrega da carteira profissional... A estes deixo uma nota: trabalhem uns tempos em aviação depois falem sobre a mesma ou pelo menos façam aquilo que um jornalista tem de fazer: procurar fontes e informação e responder às questões básicas ao invés de ventilar veneno para os mais fracos e encontrar muitas dessas fontes no ressabiamento das redes sociais... Talvez percebam que em aviação o double-check (quando não é triple ou mais) é uma regra seguida por todos, ao contrário do que vai sucedendo na actuação de alguns jornalistas. Reina a sensação de impunidade, também no jornalismo, e não parece existir grande vontade em acabar com isso...

 

Espero também que a fúria destes sedentos por sangue (jornalistas e cidadãos sem capacidade de pensar pela sua própria cabeça) seja transportada para as manobras altamente perigosas que são praticadas nas nossas estradas... Talvez comece uma guerra civil e ninguém fique por cá! Andamos todos preocupados com uma criança de 8 anos que morreu devido a um acidente aéreo mas não nos preocupamos com aquelas que morrem todos os dias nas estradas por nossa incúria, negligência e acima de tudo estupidez! Não é por gastarmos centenas de euros na "cadeirinha" de última geração que protegemos a nossa adorável criançinha de uma embate a 180km/h.

 

Finalmente, sou levado a pensar que o grande problema se deveu ao facto da aterragem ter ocorrido na Costa da Caparica, bem perto de Lisboa e sobretudo numa praia - aquele local amado pelos portugueses no Verão... Se caísse em cima da casa de alguém em Sendim ou em Santa Eulália ninguém quereria saber.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os Drones - Um Dia o Avião Vem Abaixo!

por Robinson Kanes, em 27.06.17

 

IMG_1517.JPG

Fonte de Imagem: Própria

 

Já fui praticante de "airsoft", ou seja, uma modalidade em que uns indivíduos sem muito que fazer se vestem de militares e com armas e equipamentos também militares (réplicas) se dedicam a andar aos tiros com pequenos projécteis de plástico. Alguns andam aos tiros porque sim, outros aprendem estratégia no terreno e outros levam as coisas tão a sério que trazem Damasco para um pinhal qualquer em Azeitão. Para praticar "airsoft", existe a "obrigação" de estar federado, de ter as armas pintadas com uma cor fluorescente nas pontas (eu não tinha, podem atacar-me) e ainda, sempre que se realize uma actividade, informar as autoridades e/ou pedir autorização aos proprietários dos terrenos ou infraestruturas. Imaginem andarem tranquilamente por uma aldeia e aparecerem uns 40 indivíduos vestidos de militares com armas que são iguais à reais. Porque não existe uma legislação eficaz para os drones?

 

Não vou falar dos drones para utilização profissional mas sim dos drones para uma utilização lúdica. Em meu entender, os drones padecem de um dos grandes problemas da actualidade: as leis não conseguem acompanhar as "inovações" tecnológicas (porque não acompanham é outra temática). Actualmente, o mundo está à espera (e não é só Portugal, é mesmo o mundo) que um avião aterre mais depressa e fique feito em bocados para tomar medidas. Existem drones que conseguem atingir os 2000m de altítude! Associado a isto, acontece que um drone é um óptimo invasor de privacidade e transformado em arma de ataque é fatal!

 

Confesso que é preciso debater o que pode ser feito: registo? Proibição para fins não autorizados? Limitar o espaço? Obedecer a regras como já obedecem os aviões de rádio-controlo que têm espaços próprios para a prática da actividade? E fora das áreas controladas dos aeroportos, como é que fazemos uma fiscalização eficaz?

 

Estamos perante um tema mais sério do que parece e a liberdade associada ao consumo desenfreado de brinquedos tecnológicos começa a chocar com outras liberdades e questões anexas bem mais importantes... Assumo que detesto estar a ser sobrevoado por drones, mas por vezes lá tenho de aceitar. Sugiro que quem gosta de ver o que é voar se dedique à observação de aves...

 

Além disso, do ponto de vista do terrorismo, não será o drone uma arma das mais eficazes? Um drone bem equipado pode fazer "maravilhas"! Se eu não posso levar um frasco com meio quilo de mel, ou uma lâmina de barbear num voo, porque é que se permitem veículos aéreos não tripulados a circular impunemente nos céus? E as responsabilidades? Se um indivíduo que passa uma tarde de domingo com o filho a brincar com um drone e faz um avião despenhar-se no Tejo, até onde vai a responsabilidade do mesmo?

 

São questões que importa responder e colmatar com a maior brevidade possível até porque... Acontecimentos recentes demonstraram bem o que o protelar de decisões importantes pode provocar!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Mensagens

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



subscrever feeds




Copyrighted.com Registered & Protected 
CRD7-BFJD-IWHB-ZXDB