Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Proibir a Entrada de Crianças em Hipermercados!

por Robinson Kanes, em 05.12.16

thinkstock1.jpg

 

 

Fim de semana é, por si só, um dos momentos predilectos dos portugueses para fazerem compras, sejam elas quais forem – aliás, é um dos motivos que me leva a evitar as grandes superfícies comerciais nestes dias.

 

Contudo, nem sempre podemos evitar e lá decidi vaguear pelos corredores de uma superfície alemã à procura de lombinhos de frango e de pão ralado. De facto, é uma superfície que “quer mais para mim” e já por várias vezes me salvou de ficar sem aquele ingrediente fundamental para uma boa “patuscada”.

 

Mas eis que tudo começa no corredor do açúcar e das farinhas... um ditador, com cerca de 10 anos de idade, arremessava pacotes de açúcar (de quilo) uns contra os outros provocando uma neve sazonal em toda aquela área e nem os adoçantes, que estão sempre com aquele ar de quem não entra excessos, escaparam. Escusado será dizer que a banda sonora de gritaria ecoava por toda a superfície.

 

Por norma, e segundo estudos científicos de grandes universidades, dizem que estes ditadores são acompanhados por um pequeno “séquito”... os pais. Mas naquele momento o séquito encontrava-se mais interessado em roupa desportiva low cost . É verdade que nestes supermercados alemães é “tudo ao molho”, mas podem imaginar a distância.

 

Já em direcção às caixas, com os meus lombinhos e o pão ralado (ainda tenho este hábito de levar sempre uma “bucha” quando saio do país, devido ao facto de ter viajado muito de regional na infância) deparo-me de novo com uma revolução junto à “secção” de comida para animais – era um labrador a rebentar com sacas de ração em busca de uns bons croquetes de carne de vaca? Era um siamês à procura de um refeição gourmet de salmão? Não, era o nosso pequeno ditador a rebentar os sacos de “Coshida”!

 

O séquito? Na caixa e a sorrir como se o pequeno ditador estivesse naqueles parques cheios de bolas onde os pais largam os filhos para comprar móveis que a posteriori se montam em casa.

 

Só perante algum repúdio por parte da plebe é que o séquito chamou a atenção do ditador, mas... diplomaticamente nem sempre é fácil demover um ditador dos seus intentos. Os colaboradores da superficie, no seu “pelo cliente e para o cliente” não agiram...

 

Desperdiçar comida ou outros produtos deveria ser crime (se as empresas, perdão, associações... que vivem de recolher comida para os mais carenciados lerem isto...) e no final de contas... não educar também... provavelmente não são as crianças que deveriam ficar à porta... mas os pais que no superior interesse da criança e, especialmente no seu, não têm certificado de educação de filhos e desconhecem as limitações da sua liberdade.

 

Fonte da Imagem: http://thefw.com

Autoria e outros dados (tags, etc)


35 comentários

Imagem de perfil

De Cecília a 06.12.2016 às 16:54

acho que o que faz falta é precisamente haver crianças em todo o lado, desde a mais tenra idade, para que saibam, desde cedo, como se comportarem em cada local. infelizmente, as pessoas, as ditas adultas, não sabem comportar-se em lado algum e portanto também não poderão ensinar o que não sabem. e para isso temos lindos remédios: ir ao bolso ou ao ego. mercadoria estragada? pagam. alvoroço que incomoda significativamente os outros clientes? expulsos da loja.

ponto.

está muito na moda deixarem-se os putos em qualquer lado para se poder fazer compras à vontade, o que eu considero a prova total da falta de autoridade pois que saber-se refém de alguém que nos deve obedecer e replicar nas atitudes é algo impensável.

não se devem proibir crianças. deve-se ser implacável para com a estupidez. e ainda há muito bom pai e mãe e crianças que dão alegria a uma fila de supermercado. falemos desses. deixemos o lixo a um canto. se as pessoas que não têm educação nem sabem dar começassem a sentir na pele o lixo que são, as coisas mudavam. assim, não. acham-se na e uma maioria in.



p.s. já agora, supermercados fechados ao domingo, isso sim, era bom de ver.
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 06.12.2016 às 18:02

Que matéria interessante para a discussão. Muito Obrigado.

Sim, penso que tem sido unânime a conclusão de que a culpa é dos pais, provavelmente por lacunas na sua própria educação e inclusive uma espécie de crença em como têm mais liberdade que os demais. Aliás, também há exemplos de crianças que se sabem comportar e muito desse mérito advém dos pais.

A decisão de se ser pai, por norma parte do casal, logo é importante que conheçam as suas responsabilidades. Sou defensor de que os casais devem ter tempo para si, aliás muito tempo para si, mas também partilho da sua opinião, nomeadamente quando refere a questão do "abandono" e "os outros que aguentem porque sou pai ou mãe".

Infelizmente para encontrar lacunas temos de falar delas, e também temos de exaltar as boas práticas. Aliás, a propósito disso, ainda ontem aquando de uma mãe a entrar com os dois filhos num prédio, ouvi o seguinte: "agora pouco barulho, estamos a entrar no prédio.".

Gostei do "maioria in".

Penso que não se deve ter regras para uns e para outros. Cabe ao consumidor perceber onde está a melhor relação preço-qualidade ou no fundo a quem pretende confiar o acto de compra.


Comentar



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Mensagens

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

  Pesquisar no Blog






Copyrighted.com Registered & Protected 
CRD7-BFJD-IWHB-ZXDB