Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Incêndios: Espanha nas Ruas, Portugal no Sofá.

por Robinson Kanes, em 17.10.17

58.jpg

Fonte da Imagem: http://www.antena3.com/noticias/sociedad/en-galicia-permanecen-sin-control-siete-incendios-en-situacion-2_2017101759e5ab300cf2e892aa27b566.html

 

Em dia de luto nacional, tenho a sensação que metade ou mais dos cidadãos portugueses não sabe o que significa uma bandeira a meia-haste. Seria interessante que todos percebessem o real significado do luto nacional, quanto mais não fosse para pararem e pensarem... Guardar 10 minutos ou mais do nosso dia para pararmos, desligarmos e reflectirmos é cada vez mais um luxo ou, segundo muitos, uma parvoíce... Tenho todo o gosto em ser parvo (parvus-parvi: pequeno) se isso for ter consciência que sou um ser humano não diferente dos outros todos. Na Era "me" entendo que muitos não compreendam o que acabei de escrever...

 

Em Portugal, país onde somos todos o máximo, continuamos com a cabeça enterrada na areia e não existe a humildade governantiva de assumir um erro e pedir desculpas. Alguém falhou os módulos de "liderança inspiradora", por certo, e também alguém sabe que os estudos de popularidade "martelados" serão capazes de influenciar um povo que continuará a perpetuar a sensação de impunidade de quem tudo acha que pode fazer. Enganem-se os portugueses que pensam que ao votarem estão a eleger alguém que vos represente, pelo contrário, estão a dar poder a outrem para que faça o que bem entender... Basta passar os olhos pelas leis que definem a governação - isto para aferir da importância de sermos cidadãos e principal supervisor de toda e qualquer actividade pública.

 

Por cá, já estamos no momento do espectáculo com as pseudo-celebridades a publicarem mensagens e a gravarem vídeos nas redes sociais perante tamanho choque. É que isto de ser solidário ou estar chocado com qualquer coisa é bom, desde que tenha projecção nos media, caso contrário não merece a pena - a propósito, ainda ontem num velório, tive oportunidade de ver uma das pseudo-celebridades (ligada à música e que anda sempre em campanhas para ajudar as criancinhas e os pobrezinhos com o irmão) completamente fria e tentando espectacularizar, perante o espanto dos presentes, a morte daquele que nos tinha ali trazido. Mas em Portugal luta-se, ou faz que se luta, no conforto do sofá, a partilhar fotografias, ou a arriscar morrer queimado dentro de um carro enquanto se filma a tragédia a troco de uns momentos de fama... E obviamente, também a escrever textos como este. Desliguem a televisão e a internet e procurem aqueles que combateram os fogos por estes dias, aqueles cidadãos, bombeiros e não bombeiros, que fizeram tudo para acabar com esta calamidade e deem um abraço a essas gentes, sem partilhas e selfies, mas apenas com as emoções verdadeiras que nos tornam melhores humanos! Os heróis são esses e não os heróis covardes que depois da tempestade, espreitam, saem do seu canto e se juntam às celebrações...

 

Todavia, em Espanha, as coisas têm sido diferentes - o povo saiu à rua, exigiu responsabilidades e obrigou a um esforço das autoridades na justificação das suas acções e a estarem próximas das populações. Em Espanha não se anda à procura de raios nem de tempestades e claramente já se assumiu que existe mão-humana nos incêndios. Em Espanha existe uma preocupação extrema com a questão natural/ambiental e com a situação económica das populações e empresas, as pessoas assim o exigem, porque esperam resultados concretos e não um abraço ou uma fotografia com Rajoy ou com Filipe VI. Em Espanha, até os media estão sob o jugo da população e de entidades reguladoras que já pediram demissões pelo facto de muitas coberturas aos incêndios serem tendenciosas ou desprovidas de tudo aquilo que deve ser o jornalismo! Em Espanha já se pensam em alterações ao Código Penal. Em Espanha até pelo "fim dos fogos" em Portugal se manifestaram, isso deveria envergonhar-nos!

 

... Em Portugal, apenas se pede que se saia à rua e se faça alguma coisa acerca do referendo da Catalunha, ou para pedir progressões automáticas de carreira (mesmo que não se faça nada para o merecer), ou para ir para a praia, porque isto de exigir um país digno desse nome, dá muito trabalho não traz "likes" e carros topo de gama na garagem. Que venha a febre do Natal bem depressa, para não nos dar tempo de pensar no essencial...

Autoria e outros dados (tags, etc)


61 comentários

Imagem de perfil

Happy a 17.10.2017

Eu fui apanhada desprevenida com esta situação. E como eu, milhares de pessoas.
Mas o que dizes, pensei eu quando foi o atentado de Barcelona. Eles saíram logo à rua, e recusaram-se a serem vergados pelo terrorismo. Eu comentei com os meus amigos que não sei se os portugueses reagiriam dessa forma...
E está aqui a resposta. Na forma como os espanhóis reagiram e nós estamos a reagir. Umas bandeiras a meia haste, umas coisas publicadas e já está feito.
Não sei se as pessoas têm noção das vidas perdidas, não só as físicas, mas também as das que sobreviveram e ficaram sem entes e sem bens. E o Pinhal de Leiria, que com 700 anos (!!!) forneceu a madeira para as primeiras caravelas portuguesas.
Já fomos um povo grande, mas a história recente mostra que perdemos essa grandeza pelo caminho...
Sinto vergonha pelos momentos que estamos a viver. A sério.
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 17.10.2017

Em Espanha, aqueles gentes têm sangue na guelra, embora tenham mostrado bastante contenção com a questão do referendo.

O Pinhal de Leiria ainda me está "entalado", sobretudo pelas boas memórias que me traz...

Essa grandeza durou enquanto tivemos grandes estadistas, mas que foram duros e firmes e acima de tudo mostraram ter competências para os cargos, independentemente de terem tido as melhores práticas ou não... Podemos é questionar se o povo "os acompanhou"...

Mas nunca é tarde para sermos grandes...
Imagem de perfil

C.S. a 17.10.2017

Lembrei-me de ti logo de manhã quando vi as imagens das manifestações na Galiza. Tive vontade de escrever sobre o assunto, mas as aulas hoje começaram às 08:20h. Lembrei-me que certamente tu o farias, melhor do que eu teria feito. Não me enganei.
Excelente, uma vez mais...
E sabes? Quando vi as imagens da Galiza senti-me envergonhada. Por mim. Por nós. Por Portugal.
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 17.10.2017

Já era expectável... Tentei fazer uma pausa no tema mas...

Teremos feito cada um à sua maneira, nem melhor nem pior :-)

Na Galiza, e não só, as coisas aconteceram simplesmente... Em Espanha fala-se mais na rua, em Portugal fala-se mais pelo telemóvel e pelo computador.
Imagem de perfil

O ultimo fecha a porta a 17.10.2017

andas a ler os meus pensamentos. Falo precisamente sobre a temática dos discursos, precisamente em Portugal e Espanha.
Mariano Rajoy foi claro ao falar no combate ao terrorismo pirónamo. Por cá, pedem-se demissões ... Não se discute as causas, mas o clickbait e o jogo politico.
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 17.10.2017

É uma inquietação nacional, é normal... Somos nós e milhões de portugueses, pelo menos assim espero.

Por cá são importantes os votos... Rajoy terá as suas estratégias, mas demonstra mais maturidade que alguns que por cá andam... E lembrar que Rajoy (isto sem estar a puxar pela brasa do mesmo) vem de semanas bem duras por causa da questão do referendo... Aliás, ainda as está a viver.
Imagem de perfil

O ultimo fecha a porta a 17.10.2017

Ainda hoje um partido da oposição ativou uma moção de censura, mas nenhum deles foi ao centro do país, ao terreno, ver os estragos e recolher input para a discussão futura do ordenamento do território. é mais fácil estar numa conferência de imprensa, ou no conforto do lar, ou nas televisões a comentar do que pagar no carro (ou nos motoristas) e exercer a sua função de "deputado".
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 17.10.2017

O povo continua a achar que os deputados são eleitos para os representar, quando está bem explicito na lei que são eleitos para tomar decisões em nome do povo e sem necessidade de questionar o mesmo... É por aí que temos de ser cidadãos e exercer o nosso dever/poder de supervisão.

De facto o Estado colapsou por estes dias... E como eu digo, foram "somente" incêndios. Também temos de ser realistas e perceber que a culpa não é só deste Governo, mas de muitos que o antecederam... Aí tem de existir vergonha, como também tem que existir vergonha de alguns partidos que, quando fora de um "geringonça" lançavam o caos no país e há uns largos meses para cá nem se ouvem... Perante isto, é a hora do povo exigir políticos competentes...
Imagem de perfil

O ultimo fecha a porta a 18.10.2017

Agora fizeste recuar uma semanas até ao conde de Abranhos.
Imagem de perfil

HD a 17.10.2017

Já se convocaram as primeiras iniciativas, mas duvido que terão a adesão de todos os perfis sensibilizados das redes sociais... -.-
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 17.10.2017

Hoje? Hoje está a chover ninguém vai, ainda por cima há futebol... Ando atento às que se estão a preparar com mais calma... Vamos ver :-)
Imagem de perfil

HD a 17.10.2017

Sabes... pelo menos ontem e hoje... senti verdadeiramente alguma mobilização :-)
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 17.10.2017

Isso é bom... Alguma muito mediática, mas outra com muita vontade de fazer algo. Infelizmente o fazer porque tem de ser tem de ser filtrado pois existe muito aproveitamento. E, mesmo em relação ao efeito cópia que veio de Espanha, sempre é melhor copiar que nada fazer...
Sem imagem de perfil

Sérgio Ambrósio a 18.10.2017

São diferentes mentalidades...
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 19.10.2017

Ups... Obrigado pelo comentário e pela visita :-)
Sem imagem de perfil

Sérgio Ambrósio a 19.10.2017

Gosto do que escreves, por isso é um gosto passar por cá
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 19.10.2017

Muito obrigado Sérgio. Verdadeiramente :-)
Sem imagem de perfil

Bruno a 19.10.2017

Confesso que o texto começou por me ofender, em certas passagens. Até que não pude concordar mais!
Infeliz e revoltosamente, não pude concordar mais...
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 19.10.2017

Acho que por estes dias andamos todos com uma certa raiva à flor da pele e nem sempre filtramos o que dizemos, por vezes é preciso...

Obrigado pela visita, apesar de não ter saído um pouco mais feliz daqui.
Sem imagem de perfil
Gostei muito de o ler.
Leio-o frequentemente.
Sou uma das " revoltadas de serviço" no que concerne aos fogos.
Sou alfacinha. Falo pelos cotovelos, mas não gosto de falar só por falar. Ontem, larguei as pantufas e fui para a Praça do Comércio. Odeio os comentadores de sofá.
Pretendia ser uma manifestação silenciosa. O silêncio é poderoso, quando usado para dar voz a quem não mais se pode fazer ouvir.
Até aí, a manifestação cumpriu o objectivo, malgrado pequenas escaramuças com os aproveitadores do costume que pululam nestas coisas, apenas para delas tirar proveito político.
Éramos seguramente 5000 ou mais, mesmo que os números oficiais não o reconheçam.
Fomos tão poucos.
Fico a pensar que dos quarenta e tal mil que excitadamente apoiaram e se propuseram a comparecer , só a décima parte lá esteve. Talvez por ser Sábado e a tarde convidar a outras paragens...
Fomos realmente muito poucos.
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 22.10.2017

Muito obrigado e agradeço o tempo que perde com este espaço.

Eu passei por lá, tranquilamente e observando alguns oportunistas e quem estava lá verdadeiramente com espírito de cidadania - não me considerei manifestante porque acredito que não estive o tempo suficiente para me auto-intitular como tal. Passei, estive um pouco, reflecti...

Claramente os números da "comunicação social" apontam para centenas, mas eram milhares, isso posso confirmar.

Somos poucos porque não foi o "Estádio da Luz" (poderia ser outro) que ardeu. Somos poucos, porque ninguém nos veio tirar pseudo direitos adquiridos, somos poucos porque não nos vieram ao bolso (pensamos nós, porque as consequências económicas estão à vista), fomos poucos porque o interior do país é um óptimo local para fazer turismo rural mas não mais que isso... Fomos poucos...

Os barómetro das redes sociais, é uma das coisas mais falaciosas que existem, mas que continuamos a dar muita importância...

Basta existir uma minoria que deseje a mudança e já será suficiente para alguma coisa acontecer. As grandes obras não começaram com multidões, mas sim com uma ou mais pessoas que souberam construir um projecto.

Muito obrigado pela visita, mais uma vez e permita-me que partilhe a ligação que tem no seu espaço com fotografias:

http://acontarvindodoceu.blogspot.pt/2017/10/nunca-mais.html
Sem imagem de perfil

Anónimo a 22.10.2017

Disponha.

Tem também um link de FB com um pequeno vídeo em directo, que infelizmente não sei com retirar para poder visualizar dem ser atrvés do FB..
Imagem de perfil

The Travellight World a 22.10.2017

Penso exactamente o mesmo. Mais um excelente post! É sempre um prazer visitar o teu blog!
Imagem de perfil

Robinson Kanes a 22.10.2017

Muitíssimo obrigado! :-)

Comentar


Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

  Pesquisar no Blog





Mensagens

Copyrighted.com Registered & Protected 
CRD7-BFJD-IWHB-ZXDB