Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Quando as Minorias São a Maioria...

por Robinson Kanes, em 02.03.17

Untitled.png

Juan José Gárate Clavero , O Banquete Interrompido (Museu Carmen Thyssen)

 

Dizia Lenine que as minorias têm sempre razão. Penso que tal figura histórica se regozijaria imenso com alguns episódios a que assistimos actualmente. Ontem, num jantar realizado entre amigos, não consegui fugir ao tema e dei comigo numa conversa sobre comentários em redes sociais. O que me faz escrever este artigo, no dia de hoje, está relacionado com o facto de até já existirem queixas de uma associação que dá pelo de SOS Racismo.

 

Coloco uma questão: dizer que “pretos” e “gays” ganham óscares é crime? Não elogio o modo em como o comentário foi feito, de facto, mas é motivo para tanto alarido? Que faria a associação SOS Racismo numa estação de caminhos-de-ferro alemã onde indivíduos, por norma, não alemães, são abordados pela “Polizei” de uma forma menos amistosa e são convidados a mostrar a identificação? Teria espaço para tanta acção? E quando é perfeitamente normal ir numa carruagem na República Checa e só ao indivíduo turco ser solicitada a identificação? E eu nem tenho aspecto de eslavo...

 

Que diria a associação SOS Racismo pelo facto de eu ter pedido a indivíduos de raça negra (poderia ser qualquer outra) alguma contenção, numa situação de clara violação da lei e ter sido ofendido com as palavras “não ouçam esse C... ele é branco”? Será que posso apresentar uma queixa por racismo com o apoio desta associação? Se sim, seria interessante perceber os trâmites, mas é claro, o meu caso não seria mediático. Em jeito de nota, a maioria dos indivíduos presentes nessa situação moderou o comportamento e até pediu desculpa aos “lesados”.

 

Sinto-me confortável para falar sobre estas matérias, tenho amigos pretos, brancos, amarelos, árabes, judeus, chineses, cor-de-rosa, azuis, gays, heterossexuais e com eles já trabalhei, apoiei e fui apoiado. Em relação a pretos, árabes, judeus, gays e tantos outros já partilhei muitas experiências e até uma mesa e muitos abraços.... pelo que, poupem-me ao politicamente correcto.

 

O que temo hoje em dia, é na transformação que se faz de episódios sem dimensão em autênticos crimes contra a humanidade! O que temo hoje em dia é uma ditadura das redes sociais e do politicamente correcto onde a maioria que expressar a sua opinião rapidamente é exterminada pela minoria “coitadinha”. Se há uma coisa que o genocídio no Ruanda nos ensinou é que, se protegemos demasiado uma minoria e, quando as bases dessa protecção falham, vamos ter uma grande revolta da maioria.

 

Porque é que se dá importância a um fadista (que nem é brilhante) e ninguém se revolta contra os impostos não cobrados e que estão em offshores? Porque não se dá importância aos preços proibitivos dos combustíveis? Porque é que não se questiona que um interveniente nas negociações da TAP (ao serviço do Governo e "pro bono", lembram-se?) aquando da privatização seja agora indicado para um alto cargo nessa mesma instituição?  Porque é que se faz a apologia de políticos que se venderam por um bilhete para um jogo de futebol? Perde-se demasiado tempo neste país de comadres a falar do que não interessa, a atirar chavões que depois não têm conteúdo, mas quando o assunto é o bem comum...

 

Para mim são todos cidadãos, iguais perante a lei, independentemente das orientações sexuais ou da raça e acredito que se a nossa Constituição fosse olhada como o deveria ser, e não somente para reivindicar direitos de alguns sobre a asfixia de outros, talvez muitas associações deixassem de ser necessárias. Mas quem invoca a Constituição são sobretudo os cidadãos e é a inoperância prática destes que provoca estes conflitos.

 

Encerro com uma citação de uma publicação extremamente actual e que nos pode fazer reflectir,  o "Regresso ao Admirável Mundo Novo" de Aldous Huxley - aqui numa fase mais triste e desencantada face ao "Admirável Mundo Novo - e que dizia que  "a liberdade é um grande bem, a tolerância uma grande virtude e a arregimentação uma grande infelicidade"... 

 

Fonte da Imagem: Própria.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


34 comentários

Imagem de perfil

De a mãe dos PP's a 02.03.2017 às 11:24

Também acho que as minorias têm sempre razão... ou quase sempre
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 11:34

Umas vezes sim, outras vezes não… :-)
Imagem de perfil

De Francisco Freima a 02.03.2017 às 11:31

As redes sociais amplificam tudo até ao absurdo. Se fosse incitamento ao ódio ou à violência contra uma determinada minoria, ainda poderia perceber (e mesmo assim, penso que nesses casos devemos dar o benefício da liberdade de expressão), agora por dar uma opinião parva sobre os critérios de atribuição dos Óscares, parece-me excessivo e contraproducente.

Há muito activista que só vê o mal, são os fanáticos. Já vi pessoas em manifestações anti-touradas a desdenharem o apoio de outras à sua causa só porque estas eram vegetarianas. Depois, ainda ontem apareceu uma notícia no DN sobre o boicote, num estado indiano, à venda de Coca-Cola e de Pepsi, substituídas pela água de coco. Surpreendentemente, nos comentários as pessoas aplaudiam a decisão.

http://www.dn.pt/mundo/interior/comerciantes-boicotam-coca-cola-e-pepsi-preferem-agua-de-coco-5696963.html

Devemos combater o racismo, mas entrar em excessos só dá argumentos a quem se aproveita destas polémicas para corroborar a sua visão distorcida da realidade
Imagem de perfil

De Francisco Freima a 02.03.2017 às 11:37

* não eram vegetarianas :)
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 11:42

Cada qual defendendo a sua quinta… no fundo…

As redes sociais como barómetro são um instrumento perigoso (e foco a questão de serem nocivas somente neste ponto, não estou a denegrir as mesmas nem é esse o meu objectivo). Os perfis falsos e o não reflexo da opinião pública nas mesmas é um facto que nem sempre é considerado. O grande problema está no modo como estas alimentam outros "media"… o perigo aí ainda é maior. Utilizar opiniões de anónimos, desconhecidos ou frustrados para fundamentar notícias num jornal, por exemplo, não é jornalismo, é incompetência e total falta de profissionalismo.

Em relação à India… nem me dou ao trabalho de ler os comentários… contudo, baseando-me no que disseste só estamos a destruir um "capitalismo" e a criar "outro", ou seja, é retirar um suposto tirano e a repor outro. Provavelmente também estaremos a esquecer que a Coca Cola e a Pepsi pagam melhores salários que os produtores do outro produto e por aí adiante… é uma espécie de "abaixo a Coca Cola dos outros! Viva a minha Coca Cola.
Imagem de perfil

De Francisco Freima a 02.03.2017 às 12:05

Pois, mas é assustador. Pessoas que delegam nos outros a sua liberdade de decidir o que devem ou não consumir... eu não fumo, mas lembro-me que isto começou com as leis anti-tabaco. Agora, são as bebidas açucaradas, a seguir deve ser o álcool e a cafeína, e no final será o consumo de carne.

Depois admiram-se que os racistas comecem a instigar uma mentalidade de cerco, do género «qualquer dia eles tomam conta disto tudo.» E nesse «eles» está tudo o que associam ao politicamente correcto
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 15:57

Se por um lado as questões de saúde são uma realidade nessas políticas: as despesas do SNS (no caso português) no combate e tratamento do tabaco ou, com a própria Diabetes causam rombos enormes nas finanças públicas, prevenir e baixar o consumo pode ser uma tomada de posição inteligente, mas… porque há sempre um mas… não vejo as pastelarias, as bolachas açucaradas, o próprio açúcar até… a sofrer com essas políticas. Infelizmente, e isso seria outra discussão, está no objectivo de reduzir despesas públicas pelo lado da receita.

"Depois admiram-se que os racistas comecem a instigar uma mentalidade de cerco, do género «qualquer dia eles tomam conta disto tudo.» E nesse «eles» está tudo o que associam ao politicamente correcto"

Claro que esse argumento nunca pode ser válido, no entanto, eu falei do Ruanda, um exemplo forte, não foi por acaso :-)
Imagem de perfil

De Sónia Pereira a 02.03.2017 às 11:46

Esta sobrevalorização das palavras do fadista é um triste episódio. Na realidade, temos uns quantos idiotas que começam a resvalar para o esquecimento e que já perceberam que basta dizerem meia dúzia de alarvidades para voltarem à tona, terem de novo visibilidade.
Acho que o comentário foi triste e, claro, nem todos os tipos de comentários poderão ser enquadrados pela simples liberdade de expressão, alguns poderão ser crime de ódio, de incentivo ao ódio racial. Neste caso específico, é apenas uma frase parva e dizer uma alarvidade está no direito de cada um. Todos nós podemos escolher ser idiotas, mas mais idiota é aquele que dá atenção a esse tipo de discursos medíocres.
Compreendo a posição da SOS racismo, mas neste caso acho que acabaram por empolar uma situação sem importância.
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 12:05

É como dizes, querer ser idiota deve ser respeitado :-)

Creio que estamos, cada vez mais, a combater o ódio com ódio… por norma, a falta de discernimento face a essa abordagem acaba por ter consequências negativas.

Estranho como, com tanta coisa a acontecer, o ódio seja canalizado para estas temáticas.
Imagem de perfil

De Chic'Ana a 02.03.2017 às 11:54

Eu concordo contigo, não é a raça de uma pessoa, a cor que lhe confere valor. Eu olho para todos de forma igual, mas infelizmente a sociedade incita cada vez mais ás divisões...
Beijinhos
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 11:55

Focaste uma temática bastante interessante e que é um paradoxo na actualidade… o incitar às divisões!

Excelente "input" para a discussão! Obrigado!
Imagem de perfil

De Rita a 02.03.2017 às 15:03

Ouvi um zumzum sobre o comentário que ele fez mas ainda nem sabia ao certo o que tinha sido dito. Entretanto fui ler e como temia, é mais do mesmo... Mais do mesmo no sentido de se desviar as atenções do que realmente interessa discutir, como tu também referes. É isso que me custa mais, o peso que este tipo de não-notícia tem quando há tanta coisa grave que se passa no nosso país e a grande maioria das pessoas não está para se preocupar. O comentário é infeliz, mas não passa disso.
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 15:47

Penso que é o resumo perfeito do meu "artigo"… :-)

Obrigado.
Imagem de perfil

De Marta Elle a 02.03.2017 às 15:22

Concordo com o texto todo.
Chegámos a um ponto em que tudo já é discriminação ou racismo.
Um destes dias, também me queixo já que na Net chamam-me muitas vezes paneleiro.
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 15:48

Enfim, a internet permite que qualquer um tenha liberdade para dizer o que lhe vai na alma… mas quando exteriorizamos o que nos vai na alma… as coisas podem correr mal, ou melhor, podem não correr mas provocar sérios impactes em outrem.
Imagem de perfil

De Sr. Solitário a 02.03.2017 às 15:23

Acreditas que uma vez perguntaram-me, na urgência, qual foi a médica que me atendeu e eu, que não sabia o nome da mesma, até tive receio de dizer que "foi aquela senhora negra..."??
Parece que atualmente temos de ter cuidado com o que dizemos. Tanto censuram a PIDE mas a sociedade não estará a adotar os mesmos princípios?
Um abraço.
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 15:52

A Chic'Ana fez uma observação pertinente… estamos a criar divisões e ao serem criadas divisões estamos a criar, muitas vezes, conflitos. A sociedade não é perfeita pelo que, quanto maior o número de divisões, maior o número de conflitos.
Há limites claros para os abusos, mas não é para isso que existem leis? Os julgamentos de sangue em praça pública ainda estão bem presentes na nossa realidade, não é por acaso que ainda idolatramos esse grande património que é o "Pelourinho".

Estamos a criar mais grupos (digo isto sem negligenciar situações em que a protecção é necessária) e a proteger os mesmos de tal forma que corremos o risco de… ao proteger uns, essa mesma protecção lesar os outros, o conceito de Igualdade parece estar cada vez mais a ser adulterado.



Um Abraço,
Imagem de perfil

De HD a 02.03.2017 às 18:49

Hoje em dia só se dá importância ao que é errado!
Aí, qualquer individuo medíocre tem algum valor. TRISTE! :(
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 20:40

Olha que eu fico a pensar muitas vezes se o problema não está em mim… mas depois olho para a minha idade e penso… caramba, também ainda não cheguei àquela idade do "no meu tempo é que era bom"…
Imagem de perfil

De HD a 02.03.2017 às 21:03

Também não posso dizer isso :)
Posso dizer, perfeitamente, que mesmo quem precisa de atenção sabe a pior forma de o fazer ;p
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 21:06

Ai isso é uma grande verdade… uma espécie de suicídio tendo em vista a ressurreição.
Imagem de perfil

De HD a 02.03.2017 às 21:23

O fatalismo social. Soa-te bem? ;p
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 03.03.2017 às 09:53

Soa, embora não esteja a ver a ligação… "please, help me" :-)
Imagem de perfil

De HD a 03.03.2017 às 18:54

Fatal. Ou manténs-te ignorado ou ressuscitas como Lázaro, o copywriter xD
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 03.03.2017 às 22:02

ahahahahah got it! De facto, e bom cruzamento...
Imagem de perfil

De HD a 04.03.2017 às 13:32

You know, eu não esgoto os meus créditos nos posts :)
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 04.03.2017 às 20:17

Eu sei que não… eu sei que não :-)
Imagem de perfil

De Maria a 02.03.2017 às 20:08

Ora nem mais, nunca o poderia dizer de forma tão clara e correta mas penso exactamente da mesma forma!
Não defendo atitudes racistas ou xenófobas (apesar de a dada altura todos o sermos um pouco, não me venham com tretas) mas não é por se usar determinados nomes que o estamos a ser. Aliás, pode-se ser bem mais ofensivo com determinado tipo de atitudes
Arre para o politicamente correto que só o é porque fica bem!
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 02.03.2017 às 20:39

Ora minha Cara, você conseguia e com mais clareza, disso não tenho dúvidas.

Acho que estamos a entrar em exageros e ainda há pouco pensei até em manobras de diversão, mas isso seria outra história.
Imagem de perfil

De Rita PN a 05.03.2017 às 22:53

Poderia formalizar um longo comentário a este post... Mas vou ser muito breve e deixar alguém falar por mim:

https://ionline.sapo.pt/artigo/551812/desgarrada?seccao=Opiniao_i

Dois artigos, o teu é o do João Paulo do Carmo, que tocam em questões urgentes e bastante pertinentes.
Obrigada, Robinson, por nos incitares sempre à inquietação do pensamento!
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 06.03.2017 às 09:53

No fundo é um resumo deste meu artigo… podem colar-se embora com duas linhas diferentes de pensamento.

Pensar faz-nos bem, reflectir faz-nos bem… pensa-se pouco hoje em dia, alguns alegam falta de tempo, já outros alegam que está ultrapassado… mas quando não se pensa também não se age… pelo menos não se age bem…

Obrigado pelos teus "inputs" sempre importantes para a discussão.
Imagem de perfil

De Rita PN a 06.03.2017 às 12:01

Henry Ford dizia, "pensar é o trabalho mais difícil que existe.Talvez por isso tão poucos se dediquem a ele."; e Pascal confirmava que "Pensar faz a grandeza do homem.".

Posto isto, nada mais há a dizer. Mas muito há para pensar.

Eu é que tenho a agradecer a tua existência, assim como a dos teus artigos. São eles que puxam por mim :)


Comentar



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Mensagens

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Pesquisar

  Pesquisar no Blog






Copyrighted.com Registered & Protected 
CRD7-BFJD-IWHB-ZXDB